reiki-hands

O Reiki como suporte no tratamento do cancer

Reiki é eficaz no tratamento dos diversos malefícios físicos e mentais relacionados com câncer

A aplicação de Reiki nos tratamentos relacionados com cancer demonstrou-se válida e pertinente, neste estudo conduzido por Tsang e Carlson. Além da fadiga, encontrou-se uma melhoria na qualidade de vida em geral da pessoa.

Reiki é eficaz no tratamento do desgaste relacionado com cancer.

Reiki, é um método baseado na energia. Descobriu-se ser útil para reduzir o stress e melhorar a qualidade de vida, na medida em que diminui o cansaço e a ansiedade em pacientes com cancer, de acordo com um estudo recente.

No estudo “Pilot Crossover Trial of Reiki Versus Rest for Treating Cancer-Related Fatigue“, 16 participantes diagnosticados com cancer nos estágios I a IV voluntariaram-se para participar num estudo cruzado para examinar os efeitos do reiki em fadiga, dor, ansiedade e qualidade de vida no geral.

Os participantes receberam Reiki, administrado por um mestre de reiki, por cinco sessões diárias consecutivas, que duraram, em média, 45 minutos por sessão. As sessões foram seguidas por uma semana de pausa de qualquer outra terapia alternativa para poder avaliar os efeitos. Em seguida, duas sessões de reiki adicionais de monitorização.

Todos os participantes completaram questionários antes e depois de todas as sessões de reiki e de pausa no Reiki e os resultados foram surpreendente.

Indivíduos completaram a avaliação funcional da Functional Assessment of Cancer Therapy Fatigue subscale e Functional Assessment of Cancer Therapy, versão geral, que avaliaram a qualidade de vida global. Eles também completaram um sistema que avaliou cansaço diário, dor e ansiedade antes e depois de cada sessão de reiki e resto da escala analógica visual – Edmonton Symptom Assessment System.

“A natureza passiva de Reiki faz com que seja uma intervenção ideal para pacientes com energia limitada que estão a ter dificuldade em se adaptar aos estressores associados ao cancer e seu tratamento”, dizem os autores do estudo.

Fonte: Departamento de Psicologia e do Departamento de Oncologia da Universidade de Calgary, Alberta, Canadá; Departamento de Recursos psicossociais, Tom Baker Cancer Centre, Calgary, Alberta, Canadá, e Faculdade de Enfermagem da Universidade de Alberta, no Canadá.

Autores: Kathy L. Tsang, BA; Linda E. Carlson, Ph.D., CPsych e Karin Olson, RN, Ph.D. Originalmente publicado em

Integrative Cancer Therapies 6 (1), 2007 pp 25-35

Tags: No tags

Comments are closed.